segunda-feira, 29 de junho de 2009

A IMPORTÂNCIA DA PREPARAÇÃO PARA O PARTO

No terceiro trimestre de gravidez a proximidade do parto e o parto em si aumentam a ansiedade e os sentimentos negativos, os quais são, frequentemente, disfarçados em sintomas somáticos de desconforto físico.

Nos locais em que já existem os cursos de preparação para o nascimento, o método psicoprofilático é, geralmente, o mais utilizado. Verifica-se a influência de outros métodos, uma vez que em todos eles se defende a redução do medo, tensão e dor através do aumento do conhecimento da mulher sobre trabalho de parto e parto, aumento da sua auto-confiança e sentido de controlo preparando uma pessoa de suporte e treinando a mulher em condicionamento físico e respiração relaxante.

O método psicoprofiláctico de preparação para o parto baseia-se na educação simples e racional baseada em demonstrações; na aprendizagem minuciosa e regular sob o controlo de pessoas experientes; na criação de uma compreensão recíproca numa atmosfera de confiança, segurança e estima; na participação, sempre que possível, do companheiro; na compreensão da mulher da importância do desenvolvimento da gravidez em boas condições físicas, psíquicas e obstétricas; na sua participação como elemento facilitador do nascimento e estabelecimento da relação afectiva mãe-bebé e na utilização dos meios terapêuticos apenas nos casos indispensáveis.

Cabe ao Enfermeiro Especialista em Saúde Materna e Obstétrica estabelecer um programa de preparação dos futuros pais, tendo em vista a sua nova função, responsabilizando-se pela sua concepção e implementação, com vista a assegurar a preparação completa para o parto e para a parentalidade responsável. Perante o que foi referido o Enfermeiro Especialista em Saúde Materna e Obstetrícia tem um papel essencial na implementação destes projectos.

O medo da dor é a razão de muitas grávidas frequentarem as aulas de preparação para o nascimento. Considerando que as vias sensitivas apenas conduzem, em simultâneo, para o cérebro um número limitado de sensações ou mensagens, a utilização de técnicas de distracção (concentração nos movimentos respiratórios e relaxamento) durante o parto atenua a transmissão nervosa de estímulos dolorosos.

O aumento do medo e da ansiedade eleva a tensão muscular, diminui a eficácia das contracções uterinas, aumenta o desconforto e inicia-se um ciclo de medo e ansiedade crescentes que atrasam a progressão do trabalho de parto.

A preparação para o parto é necessária e importante como fonte de informação, de confiança e espaço para aprender a lidar com os medos relativos ao nascimento, contribuindo a preparação física e psíquica da mulher grávida para diminuir ou eliminar a sua ansiedade. Se a futura mãe conhecer o funcionamento do seu corpo, encontrar-se-á em situação de colaborar com a equipa de saúde, reduzindo grande parte da tensão corporal e psicológica, do que resulta um parto mais fácil e menos doloroso.

A preparação para o parto tem como finalidade uma gravidez e parto felizes, saudáveis e o mais naturais possível, em que o auto-controlo representa uma mais valia para a grávida de forma a vivenciar positivamente o seu papel de mãe e o possa transmitir ao companheiro e restante família.

A intervenção dos técnicos de saúde na área da saúde reprodutiva, com vista à promoção do ajustamento dos pais sairá favorecida com a compreensão das vicissitudes que caracterizam a vivência psicológica parental da transição para a parentalidade, garantindo-se uma prestação de cuidados adequados aos pais e a diminuição da morbilidade materno-infantil.

Sem comentários:

Publicar um comentário